Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

8 dicas e informações definitivas sobre amamentação

A Barata Diz Q Tem

Sempre tive uma visão romantizada da maternidade. Achava lindo ver grávidas passeando pelo shopping com seus barrigões. Bebezinhos felizes no colo dos pais. E, apesar de achar todo esse universo maravilhoso, nunca imaginei ser mãe. Sempre achei que a maternidade não seria a minha forma de viver. Como me enganei… por duas vezes a vida me surpreendeu!

Hoje revivo momentos maravilhosos com meu segundo filho, um deles é curtir o prazer de poder alimenta-lo com meu leite. Tenho lido muitos textos em redes sociais falando sobre os percalços da maternidade. Muitas mães contando a “realidade” do dia a dia com seus bebês. Principalmente, no que se refere à dura tarefa de amamentar. Peitos feridos, inchados, dores, febre, mastite e tantas outras reclamações.

Em conversa com especialistas da área e com outras mães, consegui juntar algumas dicas e informações que podem ajudar a passar por esse momento de uma forma mais suave e menos traumática. Acompanhe abaixo e, se você tiver algum conselho para outras mamães, deixe nos comentários para que a gente possa compartilhar mais experiências.

1. Por que é importante amamentar?

O leite materno é um alimento completo para o bebê. Ele fica protegido contra doenças, alergias, diarreias e infecções. Além de fortalecer e desenvolver a musculatura da boca, preparando o pequeno para a fala e a mastigação. Para a mãe, a amamentação ajuda a diminuir o sangramento pós-parto, fazendo com que o útero e o volume dos seios voltem ao tamanho normal. E, o que considero a melhor parte, o aleitamento materno aumenta o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê.

2. Por quanto tempo amamentar?

Segundo orientação da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria, o ideal é que o bebê mame exclusivamente no peito até o sexto mês de vida. A recomendação é que o aleitamento materno seja feito já na primeira hora de vida, sob livre demanda, e possa ser estendido até os dois anos ou mais.

3. Benefícios do leite materno

Várias pesquisas já foram realizadas para comprovar os benefícios do leite materno ao longo da vida da criança. Entre eles: o aleitamento materno previne o Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH); e, um estudo feito no Brasil, mostrou que bebês que foram amamentados por mais de um ano têm maior coeficiente de inteligência.

4. Problemas durante a amamentação

A rachadura no bico do seio talvez seja o problema mais corriqueiro entre as mães. O que muitas não sabem é que isso pode ser evitado com o jeito que o bebê mama. As rachaduras acontecem, na maioria das vezes, porque o bebê não fez uma boa pega e está sugando de forma incorreta. O ideal é que ele coloque a boquinha em toda aréola do mamilo. Isso evita as rachaduras! Agora, se o seu peito já está rachado, consulte seu ginecologista para que ele te indique a melhor forma de tratamento.

Outro problema é quando a mama fica empedrada, o chamado engurgitamento. Isso acontece quando a mama não foi esvaziada adequadamente. Antes de oferecer o peito para o bebê, esvazie um pouco a mama. Assim, o seio ficará mais macio e a pega do bebê será melhor. Sempre que estiver amamentando deixe que o bebê mame até que você sinta o seio mais vazio, depois passe para o outro. Uma das consequências do engurgitamento é a mastite, uma inflamação das mamas. Os sintomas são dores no peito e avermelhamento das mamas. Caso isso aconteça, procure seu médico para o tratamento adequado.

5. Quais as restrições na alimentação da mãe?

Não existem restrições. Existe o bom senso para manter uma alimentação saudável e equilibrada. Quando está amamentando, a mãe precisa de todos os nutrientes que estão presentes em frutas, verduras, legumes, carnes e outros alimentos. O ideal é manter uma alimentação balanceada. Se o bebê estiver bem, continue ingerindo um cardápio mais completo e variado possível.

6. O bebê precisa arrotar?

O arroto é provocado pela ingestão de ar durante a sucção feita pelo bebê. Se ele pegar o peito de maneira correta e mamar bem, é possível que não arrote. Após cada mamada, deixe o bebê em pé, apoiado em seu ombro, por uns dez minutinhos. Dê alguns tapinhas suaves nas costas dele para que agilize o processo.

7. Qual o tempo de cada mamada?

Não existe um tempo determinado. Cada bebê segue um ritmo e um tempo de mamada diferente. Os pediatras indicam que dez minutos em cada peito é mais que suficiente, mas isso não é uma regra. O importante é não deixar que o bebê fique mais de quatro horas sem se alimentar.

8. É normal o bebê engasgar durante as mamadas?

Existem duas possibilidades mais frequentes: ou o bebê não está mamando corretamente ou o leite está saindo com muita força. Quando isso acontecer, não se desespere! Retire o pequeno do peito, limpe, deixe que a respiração dele volte ao normal e depois ofereça o peito novamente. Para que isso não aconteça, a criança deve ficar bem de frente para as mamas, com a cabeça e o tronco alinhados, as nádegas apoiadas, o queixo tocando o seio, a boca bem aberta e o lábio inferior voltado para fora.

Bom, eu continuo com a minha perspectiva romântica da maternidade e tento aproveitar ao máximo cada experiência que meus filhos me proporcionam. Amamentar é um momento único para a mulher. Costumo dizer que é algo que não pode, e nem deve, ser terceirizado. Ver aqueles olhinhos brilhando em sua direção e saber que você é responsável por cada dobrinha que aparece naquele corpinho é uma sensação maravilhosa.

A mãe deve sempre lembrar como é especial esse momento da amamentação e que ela precisa se preparar, com calma, num ambiente tranquilo, para que tudo aconteça de forma natural. Mamãe e bebê precisam estar em sintonia e confortáveis. É como um ritual mais que especial.

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes
Esse conteúdo foi útil?
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado.