Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

Como Quebra-Cabeças podem Estimular a Mente das Crianças

A Barata Diz Q Tem

Certamente você já se deparou com uma situação comum nos dias de hoje: viu uma criança parada, querendo que alguém resolva para ela algum problema ou dê algum comando para que faça algo. A tecnologia nos trouxe muitas comodidades. Nossos pequenos já nasceram em uma era que tudo se resolve facilmente em um clique. Tanta facilidade colocou adultos e crianças em uma zona de conforto sem fim. Dá preguiça de pensar só de pensar em ter que fazer algo que nos tire do sofá ou que seja diferente de rolar uma tela.

Se você, que teve uma infância cheia de brincadeiras e peripécias, tem essa sensação, imagina o seu filho, que tem a maioria das coisas sempre à mão. Apesar de sabermos e reconhecermos que a vida deve acontecer fora dos aparelhos eletrônicos, ainda não conseguimos resolver essa questão. Estimular nossos filhos a pensar, interagir e brincar se tornou um desafio diante desse cenário em que estamos exercendo a parentalidade.

O que tem sido muito discutido é como deixar que as crianças se desocupem, se sintam entediadas, pratiquem o ócio. Pode até soar com estranheza essa frase, mas o que nossos filhos precisam é esvaziar as mentes, estar sem nada para fazer. Sem ocupação e histórias prontas, eles começam a criar, a pensar. Se veem obrigados a entrar no mundo imaginário para construir suas próprias histórias.

Nós podemos colaborar com esse processo. A primeira questão é não resolver as angústias e anseios de nossos filhos em tempo recorde. A segunda é leva-los para ter um tempo livre, um tempo em ambiente aberto, em contato com a natureza. A terceira, e que consideramos a mais importante, é separar pelo menos uma hora do seu dia para estar com a criança. Que essa hora seja de leitura, de brincadeira, de risadas, de confissões.

Para além da afetividade, está tudo aquilo que podemos oferecer sem que reforce o estímulo ao consumo tecnológico. Vamos conduzir as crianças ao pensamento, à criação, ao raciocínio. Temos que aproveitar que crianças gostam e anseiam por brincadeiras. Se divertem com o pouco e são como uma esponja sequinha, pronta para absorver o máximo de conhecimento. Se deixamos isso para que a tecnologia resolva, perdemos uma chance preciosa de construir uma sociedade que pensa e age de forma diferente do que vemos hoje.

Alguns brinquedos podem ser peça chave para esse estímulo. Montar quebra-cabeças é uma atividade extremamente rica para o cérebro. É um ótimo instrumento de socialização e cooperação com o próximo. Estimula o raciocínio, eleva as habilidades motoras da criança, melhora a capacidade de desenvolver problemas, a percepção visual, espacial e a sensibilidade.

Hoje, existem muitas opções de quebra-cabeças, que podem ser introduzidos a partir dos dois anos de idade. O ideal é apresentar os mais fáceis primeiro e à medida que a criança obtiver sucesso na montagem, você apresenta outros com grau de dificuldade maior ou com mais peças. Montar quebra-cabeças também auxilia a trabalhar o todo e as partes, noções de análise e síntese e incita a criança a ficar atenta aos detalhes.

Outros brinquedos que também ajudam a estimular o cérebro da criança são os jogos de sequência lógica, Aproveite a sua hora do dia com a criança para propor e variar as brincadeiras. Para mudar paradigmas e fazer com que haja um momento fora da zona de conforto. Para pensar e ser diferente.

5.00 avg. rating (82% score) - 1 vote
Esse conteúdo foi útil?
5.00 avg. rating (82% score) - 1 vote

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado.