Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

Dicas para evitar a birra na hora de vestir as crianças

A Barata Diz Q Tem

As crianças começam um processo de autoafirmação e busca por sua própria identidade desde muito novinhas. Aqui em casa, identifiquei essa fase quando Caio fez dois anos. Começou com a forma de organizar os brinquedos, depois passou para o que comer, o jeito de tomar banho e, por fim, chegamos às escolhas das roupas.

Cada mãe tem uma experiência diferente. Cada criança passa por essa fase de uma forma diferente. Fazer birra é um jeito que elas encontram de mostrar que estão insatisfeitas com algo. Isso nos tira do sério, mas precisamos buscar alternativas para passar por esse processo sem pirar. Porque sim… a gente acha que vai surtar quando nossos anjinhos começam aqueles ataques!

Vamos às roupas… Levante a mão quem nunca teve que ir a um evento com o filho vestido de Homem Aranha ou teve que levar a filha de princesa para o aniversário de um amigo. Pois é… Isso acontece com todo mundo! Exceto você, que passou toda raiva em casa para tentar convencer a criança do contrário, todo mundo acha lindo e super normal.

Hoje temos um aniversário para ir. Caio quer ir com o uniforme do Cruzeiro completo, inclusive meião e chuteira. Já fez bico, já emburrou, brigou, tentou achar cúmplices pelo meu whatsapp. Fez e aconteceu! O que fazer? Como lidar com esse momento de vontades e de ímpetos que nos mostram que ele já não é mais aquele bebezinho que a gente brincava de boneco, vestindo o que nós queríamos?

Especialistas afirmam que devemos ponderar nossa autoridade perante essas situações. De acordo com um estudo feito na USP, a moda, para as crianças, representa um papel fundamental para a formação da personalidade. Esse estudo ainda aponta que, a partir dos quatro anos, a criança passa a ter mais consciência sobre seus gostos e seu corpo.

Mas, e aí? Como ajudar nossos filhos na construção dessa identidade própria, conseguir que eles se vistam de forma “normal” e evitar os acessos de birra? Separamos várias dicas que podem te ajudar nesse processo. Vamos lá?

Deixe roupas de personagens sempre à mão

Nem sempre vai dar para sair com a fantasia do Homem Aranha, certo? Então, mantenha no guarda-roupas uma blusa mais arrumadinha ou um vestido que remeta ao personagem. No caso de hoje: Caio tem uma camisa gola polo do Cruzeiro. Vamos leva-lo pro aniversário com a camisa do time. Conseguimos negociar e achar um meio termo entre a vontade dele e a nossa.

Oferecer opções

Não deixe que a criança abra o guarda-roupa e mergulhe em uma infinidade de modelos. Separe duas, no máximo três, opções de roupas e peça que ela escolha. Assim, você dará autonomia para a criança, mas estará sempre direcionando o que ficará bom para cada ocasião.

Colocar tempo

Pode acontecer de você dar as opções e a criança enrolar para escolher. Deixe claro para ela que a escolha precisa ser rápida, senão quem vai decidir é você.

Ter opções divertidas

As vezes, as crianças não querem vestir determinadas roupas porque acham monótonas demais. Hoje o mercado de moda infantil oferece muitas opções de roupas para festas e ocasiões especiais com um jeitinho menos adultizado. Um exemplo são os vestidos com desenhos feitos por crianças. São lindos, feitos com tecido fino e a estampa traz toda essência da meninada.

vestidos desenhados

Trabalhar com combinados

O que é combinado não sai caro, certo? Quase todas as vezes, sim! Então use esse recurso na hora de vestir a criança e evite que ela dê um chilique todas as vezes que tiver que se trocar. Já deixe as opções separadas, avise qual será o momento de se trocar e faça com que ela sinta que também tem voz durante o processo.

Mostrar algo diferente na roupa

Roupas de criança sempre tem um detalhe diferente. Seja um bolso, botão, estampa ou aplicação. Mostre para a criança que aquilo é mega power sensacional e que ela vai ficar incrível com aquela roupinha. Trabalhar a autoestima também ajuda a convencer o pequeno e vai fortalecer sua identidade.

Roupa nova

Taí uma coisa que todo mundo gosta. Não importa a idade! Se tiver roupa nova no pedaço, o processo de convencimento fica sempre mais fácil. Mas, cuidado! Não transforme isso em um incentivo ao consumismo.

Contar uma história

Relembrar bons momentos que a criança passou com a roupa também é muito legal. Você pode construir boas lembranças na cabecinha dela e fazer com que se vista de forma prazerosa.

Identificação

Pode acontecer da roupa da criança ser igual ou parecida com a de algum conhecido que ela goste ou admire muito. Esse é uma estratégia de convencimento muito boa. Mostrar ao pequeno que ele está se vestindo igual ao papai, por exemplo!

Lembre-se: se nada disso funcionar, procure manter a calma (por mais difícil que seja). Usar a empatia e tentar reconhecer que seu filho está em processo de autoconhecimento ajudará você a passar por essa fase e entender melhor as vontades dele.

Gostou das nossas dicas? Tem alguma sugestão para compartilhar conosco? Escreva aqui nos comentários para que a gente possa conhecer suas “táticas de guerra” na hora de vestir a criança.

3.00 avg. rating (63% score) - 4 votes
Esse conteúdo foi útil?
3.00 avg. rating (63% score) - 4 votes

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado.