Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

Entenda os efeitos do slow parenting no desenvolvimento das crianças

A Barata Diz Q Tem

Sabemos que a agendas atribuladas deixaram de ser exclusividade da vida adulta e passou a a fazer parte da rotina de muitas crianças. Em meio às horas e horas de aulas, cursos e atividades esportivas, surge uma tendência na maré contrária: o slow parenting. Já apresentamos esse conceito aqui no blog, explicando como ele foca na educação sem pressa e como evitar ocupar as crianças com compromissos de gente grande — sobrando tempo para brincadeiras e para que elas se conheçam melhor. No post de hoje, mostraremos como os efeitos do slow parenting representam uma série de benefícios para a criança. Confira:

Desenvolvimento do QI

A principal preocupação de pais que querem que seus filhos façam várias atividades e aprendam um monte de coisas durante o dia é que eles consigam desenvolver mais habilidades para serem mais bem-sucedidos no futuro. Por isso, crianças dividem seus horários entre escola e reforço escolar, aulas de arte e música, esportes, cursos de idioma e informática e um monte de outras coisas.

A intenção dos pais é que seus filhos se tornem adultos mais inteligentes e habilidosos. Porém, nem sempre aprender com essa velocidade é bom para a criança. Essa agenda lotada ao extremo acaba tirando todo o tempo livre que a criança teria para brincar, interagir com a família e amigos, se conhecer e, principalmente, para ser criativa. Tudo isso acaba deixando a meninada bastante estressada. Para piorar, não gera benefícios diretos para o aumento do seu QI.

O slow parenting, por sua vez, procura cobrar menos da criança e deixá-la mais livre para descobrir o que gosta de fazer e para se desenvolver melhor. Ter um tempo livre não é nada negativo para adultos, muito menos para crianças. No final, os filhos terão uma capacidade criativa muito maior e serão capazes de evoluir intelectualmente com mais facilidade e sem estresse.

Consolidação de um futuro feliz

Outro foco do slow parenting é a relação da criança com sua família. Definir um ritmo de aprendizado mais devagar não afeta somente os filhos, mas também os pais — que também veem os benefícios de desacelerar a rotina e aumentar o contato com os pimpolhos.

Pequenos criados com essa metodologia têm um relacionamento com a família mais saudável e menos ausente. Com mais proximidade, os pais são capazes de conhecer os interesses e habilidades dos seus filhos, além de saber melhor o que é necessário ensinar.

A possibilidade de realizar atividades familiares e criar boas memórias também é muito maior. Afinal, ter tempo para um jantar em família, passear juntos ou até mesmo viajar de carro no feriado nunca é ruim para a meninada, não é mesmo?

Com isso, a criança passa por um desenvolvimento bem menos estressante e é capaz de se conhecer melhor. Isso gera benefícios para sua vida adulta e a ajuda a encontrar o que a deixa feliz com mais facilidade.

Relaxamento e descoberta de si mesmo

Como dissemos, deixar um tempo livre na agenda é benéfico para qualquer pessoa de qualquer idade. O relaxamento ajuda o cérebro a descansar e a absorver melhor os aprendizados do dia a dia.

Portanto, não se preocupe tanto em fazer com que seu filho realize uma série de atividades durante a rotina. Deixe-o mais livre para descobrir brincando. Isso é fundamental para que ele defina, por conta própria, o caminho que quer seguir na vida e para que desenvolva as habilidades necessárias para isso.

E você, que tipo de pai é? Concorda com o movimento e os efeitos do slow parenting ou não vê problemas em deixar a criança realizar diversas tarefas no cotidiano? Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários!

Assinatura Equipe

Esse conteúdo foi útil?
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado.