Escola construtivista: saiba se ela é a ideal para o seu filho

Proporcionar uma educação de qualidade aos nossos filhos é um dos fatores mais determinantes para o futuro deles. E você deve saber muito bem que a responsabilidade sob os pais de qual método de ensino e qual colégio escolher para os filhos pode muitas vezes ser até opressora. No entanto, mesmo diante de tantas dúvidas, com um pouco de informação sobre as opções disponíveis, torna-se mais fácil tomar essa difícil decisão. A seguir, te ajudamos apresentando uma modalidade de ensino nova e superinteressante: a escola construtivista.

O que é a Escola Construtivista

A escola construtivista é uma metodologia que começou a se disseminar pelo mundo nos anos 70, baseada nos estudos do psicólogo suíço Jean Piaget, que considerava a aprendizagem um processo ativo. Em seus estudos, ele demonstrou que as crianças têm estruturas lógicas diferentes dos adultos e que elas conseguem raciocinar sozinhas, sem a necessidade de “decorebas”.

No construtivismo, o papel do professor passa então a ser o de formular hipóteses para que as crianças resolvam os problemas sozinhas — e a base para isso é a alfabetização. Elas aprendem a ler e a escrever sozinhas, sem necessidade de cartilhas prontas.

Como funciona?

De acordo com o método construtivista, até por volta dos 10 anos, os alunos devem ser estimulados a experimentar, pesquisar, trabalhar em grupo e questionar tudo que aprendem. Depois disso, o método é menos utilizado porque há a necessidade de diferentes professores para cada matéria.

Em uma sala de aula construtivista há, portanto, poucos alunos, muitos brinquedos e jogos de gramática e matemática — livros didáticos são raros ou inexistentes, já que a maioria apresenta o conhecimento em uma sequência linear muito rígida. No lugar deles, entram música, dramatização e projetos de pesquisa. E até mesmo as matérias mais tradicionais, como nomes de estados e cidades, são trabalhados de forma que o aluno descubra o conhecimento sozinho, por meio de jogos e atividades lúdicas.

Como os alunos são avaliados

No ensino construtivista, em geral, não existem provas. Pelo menos não no modo tradicional — as avaliações são realizadas diariamente em sala de aula. Quando há a necessidade de fazer uma avaliação mais aprofundada do aprendizado de cada aluno, o papel dela é o de diagnóstico e não de punição. Para os alunos, não há certo e errado, porque os erros não são considerados como tropeços, mas sim como trampolins no caminho para a aprendizagem.

Ainda assim, existem casos de crianças que reprovam mesmo em escolas construtivistas. Nos casos em que o aluno não consegue acompanhar o resto da turma, ele é transferido, sempre com o cuidado de evitar que a criança veja a reprovação como sinônimo de incapacidade ou de castigo por não ter aprendido.

Principais vantagens do construtivismo

Os alunos construtivistas tendem a ser mais inquisitivos, participativos e cooperativos e, em geral, tem raciocínio lógico e senso crítico mais apurados porque recebem uma série de estímulos para isso desde pequenos.

Por meio da valorização do diálogo e da cooperação entre os alunos, nesta metodologia também é muito raro haver competitividade entre as crianças. Por outro lado, elas são sempre incentivadas a se auto desafiar — em vez de serem passivas, as crianças são estimuladas a participar sempre.

Controvérsias da escola construtivista

Muitos afirmam que o construtivismo gera alunos indisciplinados, mas isso acontece apenas em salas de aula em que ele não é aplicado corretamente. Os alunos não podem ficar soltos, sem a orientação e apoio do professor — ao contrário, existem regras de funcionamento e de convivência como em qualquer outra sala de aula.

Alunos indisciplinados são punidos, mas de forma menos agressiva. Caso uma criança rasgue um livro, por exemplo, ela deve consertá-lo. Observe que a punição tentará sempre ter esse caráter reparador, mas quando não for possível, claro, haverá também punições mais firmes.

A escola construtivista está se firmando no Brasil, mas ainda não há estudos que comprovem sua superioridade ou inferioridade em relação a outros métodos de ensino. Ainda assim, é um tipo de metodologia que tem diversas vantagens para seu filho. Se você se interessou por essa metodologia, procure escolas em sua cidade e tente assistir às aulas ministradas no local. Você vai entender porque tantos pais estão aderindo ao construtivismo.

Gostou do texto? Então assine a nossa newsletter! Sempre temos novidades pra você e seu filho!

Assinatura Equipe

Share

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Uma resposta

  1. Boa noite estou procurando uma escola construtivista para meu filho, moro na vila formosa zona leste de São Paulo, perto do carrão, tatuapé, jaerdim analia franco, por gentileza me indiquem esse tipo de escola.
    Meu filho tem 12 anos e está no 7º ano.
    Atenciosamente

    SHEILA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.