Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

O que é a pedagogia Waldorf e como ela pode ajudar meus filhos?

A Barata Diz Q Tem

Quando temos que escolher uma escola para nossos filhos surgem diversas dúvidas, não é mesmo? E não é para menos, sabemos que esse será o segundo espaço mais frequentado por nossos filhos (depois da nossa casa) e, portanto, nossa escolha influenciará diretamente no desenvolvimento deles.

Nesse momento, é bom ficarmos atentos às várias questões, porém, por experiência própria, gostaria de destacar uma delas: a escolha da pedagogia. Essa não é uma tarefa fácil, mas é nesse quesito que conseguiremos verificar se a instituição em questão atende às exigências nacionais de ensino e aos nossos princípios. Sobre essa escolha, gostaria de compartilhar com vocês um grande achado, para mim e para meus filhos, a pedagogia Waldorf.

Sabe aquele desejo de ver seus filhos interagindo com a natureza, aprendendo sobre música e cultura, sendo acompanhados por uma mesma equipe de professores, que realmente sabem e se importam com as dificuldades deles, estudando em livros e não apenas em computadores? Então, essas são algumas das bases dessa pedagogia maravilhosa. Ficou interessada? Então, leia esse texto, hoje vou te contar tudo o que venho descobrindo.

Entendendo a pedagogia Waldorf

Tenho certeza que nesse momento você tem duas dúvidas principais, a primeira é de onde surgiu essa pedagogia. E a segunda é em relação ao reconhecimento pelo Ministério da Educação. Acertei?

Essa pedagogia recebe esse nome em função da primeira escola, criada por Rudolf Steiner, que recebia os filhos dos operários da fábrica Waldorf Astoria, na Alemanha, em 1919. E sim, é um formato de ensino-apredizagem reconhecido mundialmente, inclusive no Brasil. Mas não é apenas sua fama mundial que impressiona, a grade curricular é tudo o que esperamos para os nossos filhos.

Na Educação Infantil, por exemplo, o currículo contempla o ensino de artes plásticas, música, trabalhos manuais e, ainda, disciplinas que extrapolam a sala de aula, como: culinária, horticultura e jardinagem. Tudo é pensando para que as crianças recebam estímulos que proporcionem o desenvolvimento global (motor, emocional, sensorial, espacial, afetivo e cognitivo). Fico encantada com tudo o que os meus filhos me contam quando chegam da escola e com o que eu vejo por estar sempre acompanhando tudo de perto!

Quando estão um pouquinho maiores, o currículo passa a abrigar as matérias tradicionais, mas não abre mão da filosofia de desenvolver toda a capacidade que o ser humano possui. Nesse momento, então, nossos pupilos terão disciplinas como: filosofia, astronomia, música, teatro, botânica, mineralogia, euritmia, zoologia, artesanato, agrimensura, etc.

Autonomia como foco

Essa grade curricular é, com certeza, o sonho de todo pai, não é mesmo? Mas a melhor parte é o que está por trás dela, o estímulo à autonomia. Nas palavras do fundador Rudolf Steiner: “nosso mais alto empenho deve ser o de desenvolver seres humanos capazes de, por eles próprios, dar sentido e direção às suas vidas”. Quando observamos de perto, tudo o que essa metodologia proporciona, fica claro que não é mais do mesmo.

As crianças precisam de um pouco mais

É claro que nossos filhos precisam ser preparados com base nas disciplinas tradicionais, pois precisarão delas em avaliações e exames ao longo da vida. Mas essa filosofia de ensino vai além, ela prepara o estudante para interagir socialmente de formal saudável.

Segundo a pedagogia Waldorf, a vivência deve preceder a teoria. Esse é um posicionamento muito semelhante ao que desenvolvemos com nossos filhos, em casa. Sob essa visão, a escola:

  • respeita as necessidades de aprendizado do estudante em cada fase da sua vida. Para isso acolhe o ritmo biológico das crianças, ensinando-as por ciclos que duram 7 anos;
  • estimula a criação de vínculos entre o tutor (professor) e o aluno, mantendo-os em uma parceria que dura um ciclo inteiro;
  • estende os ensinamento que começam em casa, sobre: equilíbrio emocional, clareza do raciocínio e proatividade.

Quando os ciclos chegam ao final, nossos filhos estarão prontos para exercitar seus próprios pensamentos, analisar criticamente, interagir com a natureza e aproveitar, de forma saudável, as oportunidades que a vida proporciona e que levam ao sucesso.

Quer saber mais sobre metodologias e pedagogias quem fogem do tradicional, mas que podem tornar seu filho um adulto melhor? Clique aqui.

Assinatura Equipe

Esse conteúdo foi útil?
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado.