Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

Slow parenting ou pais sem pressa: conheça o movimento e seus benefícios

A Barata Diz Q Tem

Inglês, natação, aula de reforço, escolinha de futebol, curso de computação, terapia, ballet… Ufa! São tantas atividades que, a gente que é adulto perde o fôlego ao ler, imagine as crianças que possuem agendas lotadas e rotinas completamente preenchidas com essas atividades.

Será que resta tempo para as crianças viverem a infância, quando os compromissos são tantos? Será que elas não ficam sufocadas com tantas atividades extracurriculares? Preocupado essencialmente com essas questões é que surgiu o movimento slow parenting, que prega que crianças devem ser livres de preocupações e pressões. Além disso, estimula os adultos a irem com calma na educação das crianças, sem pular etapas ou acelerar processos.

Vamos entender melhor sobre o assunto no post de hoje. Acompanhe:

O que é slow parenting?

Em livre tradução, slow parenting quer dizer pais sem pressa. Trata-se de um movimento que defende que as crianças precisam de menos compromissos e mais tempo para brincar.

O slow parenting combate as rotinas infantis que se assemelham à vida dos adultos e estimula que haja um respiro nas agendas das crianças para que elas possam brincar, descansar ou, simplesmente, não fazer nada.

Agenda cheia não é sinônimo de criança feliz

Aos poucos, o grupo dos pais sem pressa está crescendo pelo mundo. Esse grupo, como falamos, rema contra a maré acelerada e prega uma infância mais calma para os seus filhos, mas isso não significa que o slow parenting negligencia o desenvolvimento da criança. O movimento apenas respeita o tempo e dá espaço para que a criança cresça, aprenda e amadureça gradualmente. Em outras palavras, os pais sem pressa não são lentos, mas querem ensinar os filhos na velocidade certa. Para eles, qualidade do aprendizado é mais importante do que quantidade de informações e habilidades.

O erro de tentar preencher completamente o dia dos filhos

Escola com carga horária puxada, tarde destinada ao curso de idiomas ou aula de esportes, noite ocupada pela tarefa de casa. Muitos pais seguem rigorosamente esse cronograma com a melhor das intenções. Eles querem preparar os filhos para o futuro, além de combater o ócio de ficarem em casa, teoricamente, sem fazerem nada de produtivo.

Por mais que as atividades sejam enriquecedoras e ajudem a desenvolver novas habilidades e competências, é importante que as crianças tenham tempo para fazer coisas que realmente gostam e não somente o que seus pais determinam. É um erro preencher completamente o dia das crianças a ponto de não sobrar espaço para elas brincarem com os amigos ou até mesmo visitarem a vovó.

Acelerar as crianças pode ser perigoso

Ao invés de garantir um porvir promissor para as crianças e formar indivíduos com autonomia, criatividade, boa motricidade e inteligência cognitiva e emocional, pressionar e acelerar a criança pode fazer com que ela seja um adulto frustrado e com sérios problemas emocionais, como estresse e baixa autoestima.

A brincadeira também ensina

É possível aprender sem tantos compromissos e atividades, dando tempo ao tempo e permitindo que a criança viva a infância na essência. Brincar ensina noções de espaço, de profundidade, de cores, de números e formas. Além disso, a ludicidade permite que os pequenos aprendam, na prática, como colaborar com o outro, respeitar as regras e acreditar no próprio potencial para vencer os obstáculos. É por isso que o slow parenting valoriza tanto o ato de brincar e o seu papel na formação das crianças.

E aí, você integra o movimento dos pais sem pressa ou acredita que não há mal algum em preencher a rotina das crianças com múltiplas tarefas? Compartilhe suas opiniões e experiências conosco através dos comentários. Até a próxima e continue de olho no nosso blog!

Assinatura Equipe

template_banner_final_post_como_transmitir

CLIQUE NA IMAGEM PARA FAZER O DOWNLOAD

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes
Esse conteúdo foi útil?
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Comentários

  1. […] falamos aqui sobre os benefícios do slow parenting, e isso tem tudo a ver com a ideia de passar os finais de […]

  2. […] aulas, cursos e atividades esportivas, surge uma tendência na maré contrária: o slow parenting. Já apresentamos esse conceito aqui no blog, explicando como ele foca na educação sem pressa e como evitar ocupar as crianças com […]

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado.