Pesquise por hashtags, nomes, e assuntos Pesquisar

Fechar

Volta às aulas: a escolha da mochila ideal

A Barata Diz Q Tem

Todo começo de ano começamos uma maratona em busca de preço e qualidade para compra do material escolar. Cadernos, lápis de cor, canetinha, borracha, papéis… uma lista sem fim. De um lado, pais e mães desesperados com os valores. Do outro, filhos enlouquecidos com a capa do caderno daquele desenho mega-super-power que acabou de lançar. E na hora de escolher a mochila o dilema só aumenta. Aliados ao preço e qualidade, entram em cena conforto, divisórias, peso suportável e outros detalhes que fazem a gente ficar perdida em meio a tantas opções.

Bom… para começar a desembaralhar as ideias vamos nos concentrar em três perguntas básicas: qual a idade da criança? Como vai usar? Por quanto tempo? Dependendo da fase que seu filho está, a mochila deve ser diferente e exigir uma série de requisitos. Na educação infantil, as crianças não carregam livros e cadernos. Já no ensino fundamental começam com aquele pesinho a mais dentro das mochilas.

A idade influencia muito. Para os pequenos que entram na escola ainda bebês, a mochila deve caber um kit de higiene básico, uma troca de roupas e a agenda. Então, uma mochila pequena com duas divisórias é mais que suficiente. Escolha um tema neutro e um material que vá durar mais tempo. Afinal, os pequenos ficam nessa fase por uns três anos.

Transporte

Leve em conta também a facilidade no transporte. As opções com rodinhas ajudam muito. Normalmente, as crianças querem levar as próprias mochilas e colocar nas costas pode não ser a opção mais viável. Sendo assim, avalie modelos com rodinhas e que sejam mais leves. Caso você tenha que passar por escadas para chegar ao destino, existem opções com rodinhas e alças.

Se seu pequeno faz um esporte dentro das atividades escolares, lembre-se de colocar esse volume a mais nas dimensões da mochila que irá escolher. Vale a pena ter um compartimento só para colocar a roupinha do esporte ou apostar em saquinhos organizadores para deixar tudo separado.

Rotina

A rotina escolar também influencia muito nessa escolha. A escola onde Caio estuda oferece lanche para a educação infantil. Sendo assim, eu não precisei me preocupar com lancheira. Mas, se essa não é a sua realidade, veja se consegue um modelo de mochila que já vem com lancheira acoplada ou opte por uma que vá trazer comodidade na hora de transportar. Também é importante ressaltar que a escolha do material da lancheira deve ser criteriosa. Os materiais térmicos são boas opções e escolha um tamanho que sirva para colocar todos os itens do lanche sem que eles cheguem na escola espremidos.

Custo-benefício

Lembre-se que o tempo de utilização de mochilas e lancheiras é bem relativo. Se você quiser algo que dure mais, pode ser que tenha que topar gastar um pouco mais. A relação custo-benefício é muito subjetiva e depende muito de como o material será manuseado. Aqui em casa, a mochila do Caio já entra para o quarto ano de uso consecutivo. Investimos um pouco na compra quando ele entrou na educação infantil, mas o valor foi diluído por esses quatro anos, então acabou saindo mais em conta.


O modelo escolhido também deve levar em consideração as mudanças de etapas. No começo só as roupinhas e a agenda, depois começam os deverzinhos… Então, se a sua opção for comprar uma mochila que dure mais tempo. Leve em consideração as diferentes etapas que a criança vai passar, a versatilidade, o material (que deve ser resistente) e o tema da mochila.

Peso e material da mochila

Tenho sobrinhos que já estão em outras fases escolares e observo que os materiais carregados já exigem um novo tipo de mochila. A partir do primeiro ano, as crianças começam a carregar mais peso, com cadernos e apostilas exigidos pelas escolas. Sendo assim, mais do que nunca, é importante avaliar o material da mochila escolhida.

Não é aconselhável que a criança carregue muito peso nas costas, pois traz uma sobrecarga mecânica ao corpo e faz com que o pequeno faça um esforço além do que poderia suportar. Isso pode trazer transtornos como estresse muscular e dores. Segundo alguns especialistas, o ideal é que as crianças não carreguem mais que 10% do seu peso. Sendo assim, é importante avaliar bem o material que será carregado ao longo do ano para não trazer problemas futuros.

Mochilas de rodinha

A opção ideal são as mochilas de rodinha. Vejo que muitos pais optam até por pequenas maletas, que são mais resistentes e neutras. Agora, caso seu filho não goste das rodinhas ou tenha vergonha de andar por aí com uma maletinha, é indicado que você converse com um profissional da área para saber qual a melhor saída. Leve seu filho nessa conversa. É importante que ele também saiba quais as consequências de uma escolha equivocada ou apenas por modismo.

Escolha

Bom… o importante é conseguir aliar o desejo do filhote, preço e qualidade. Uma boa pedida é compartilhar com amigos e parentes que tenham filhos que já passaram por essas fases para que você absorva o máximo de ideias e consiga tirar suas conclusões na hora da compra. O mercado está cheinho de opções. Nossa missão é fazer a escolha que melhor se adapte à nossa realidade. Se você tiver alguma dica valiosa para escolher uma boa mochila ou uma lancheira deixe aqui nos comentários!

Assinatura Bianca Torres

Esse conteúdo foi útil?
0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes

Fala pra gente o que achou

O seu endereço de e-mail não será publicado.